Vencida a etapa de inspeção remota dos técnicos chineses aos frigoríficos paranaenses Avenorte, de Cianorte, e Levo Alimentos, de Umuarama, candidatos a se habilitarem para exportar carne de frango para a China, o deputado federal Zeca Dirceu, líder da bancada do Partido dos Trabalhadores (PT) na Câmara dos Deputados, está confiante e tem muita expectativa de que as negociações sejam bem sucedidas.

Essa forma inovadora (remota) de complementar a avaliação das plantas industriais, cuja etapa presencial se deu ainda no ano passado, foi realizada por especialistas dos ministérios da Agricultura do Brasil e da China e envolveu as equipes de sanidade animal e de qualidade que atuam internamente nos frigoríficos.

Durante cerca de 4h de videoconferência, as empresas apresentaram toda documentação solicitada pelos avaliadores e mostraram, em tempo real, as dependências da fábrica.

Na etapa atual, 29 plantas em 10 estados brasileiros passam pela mesma avaliação, com a finalidade de exportar carnes de frango e bovina para o país asiático. “Não tenho dúvidas de que os chineses ficaram bem impressionados com a estrutura dos frigoríficos de Cianorte e de Umuarama e não encontraram restrições, uma vez que essas empresas investem muito ao longo do ano e se dedicam cotidianamente para atender às exigências e aos padrões de qualidade do mercado internacional”, afirma Zeca Dirceu. “Esperamos que as boas vibrações do ano novo chinês, que inicia, em 2024, no dia 10 de fevereiro, tragam boas notícias para o setor produtivo e à classe trabalhadora do nosso estado”, completa.

No Paraná, aguardam também habilitação para a venda à China os frigoríficos de Cascavel (Cotriguaçu), Joaquim Távora (Frangos Pioneiro) e de Santo Inácio (JBS/Seara), que serão inspecionados até o final deste mês. Mais do que um expectador, Zeca Dirceu tem se empenhado, ao lado do Presidente Lula, em representar bem o país e os produtos nacionais no exterior.

Zeca fez duas viagens oficiais à China em 2023 e recepcionou a delegação de técnicos e de agentes do governo chinês que vieram ao Brasil para uma inspeção presencial no ano passado. Como líder do PT na Câmara, participou ainda de inúmeros encontros diplomáticos entre empresários, ministros, embaixadores e lideranças regionais. Em todos, atento à expansão das relações de parceria e ao incremento econômico e geração de empregos que derivam desses acordos comerciais.

O próprio Presidente Lula, em abril do ano passado, foi à China estreitar laços e recuperar o bom relacionamento entre as duas Nações, projetando de maneira positiva o Brasil e os produtos nacionais lá fora. “O salto na balança comercial que tivemos no ano passado, projetado em cerca de 91,2 bilhões de dólares, se deve fundamentalmente às viagens internacionais do Presidente Lula”, complementa Zeca.