Uma obra de readequação da Secretaria Municipal de Serviços Rodoviários beneficiará motoristas que trafegam pela rodovia BR-487 – a Estrada Boiadeira –, entre os distritos de Santa Eliza e Serra dos Dourados. O asfalto termina a cerca de 2,5 mil metros da rodovia PR-182 e o trajeto, em leito natural, dificulta as condições de tráfego por conta do areião e de poças de lama, em períodos chuvosos.

Com a pavimentação da Boiadeira, muitos motoristas – principalmente de veículos pesados vindos do Mato Grosso do Sul e Paraguai, ou no sentido inverso – deixaram de circular pela PR-082 (que liga Icaraíma a Ivaté, e depois a Umuarama) para percorrerem a nova rodovia.

“A distância é menor, por isso o trajeto é mais rápido e seguro, já que o asfalto é novo. O problema é quando chegava nesse trecho final, sem asfalto, onde já houve acidentes e até mortes”, lembrou o prefeito Hermes Pimentel, que visitou a estrada nesta semana, ao lado do secretário-chefe de Gabinete e Gestão Integrada, André Rodrigues dos Santos, e do vereador Pé Duro.

Pimentel lembra que, apesar se ser parte de uma rodovia federal, a estrada merece atenção do município. “Por aqui passam também muitos produtores, moradores da zona rural e donos de terras que fazem parte de Umuarama. Por isso, a Prefeitura sempre fez a manutenção deste trecho”, disse. Agora, sob a condução do secretário de Serviços Rodoviários, Osvaldo Borborema Marto, a administração está readequando a base e aplicando uma grossa camada de fresado asfáltico.

O material foi obtido pelo município junto ao Departamento de Estradas de Rodagem (DER). O rejeito é um resíduo de obras de manutenção em rodovias pavimentadas. Após ser triturado, o material pode ser reaproveitado em estradas não pavimentadas para melhorar as condições de tráfego, assegurando melhor trafegabilidade.

“A estrada fica mais resistente, em tempos de chuva e de sol, exige menos manutenção e garante mais conforto e segurança para os motoristas. Fica quase como um asfalto”, elogiou o vereador. Segundo o secretário Osvaldo Marto, as chuvas desta semana e a falta de material atrapalharam o andamento do serviço. “Vamos receber mais rejeito nos próximos dias e, com o tempo bom, finalizar a readequação ligando a parte asfaltada da Boiadeira até o encontro com a rodovia, perto da vila rural de Serra dos Dourados”, completou.